AVALIAÇÃO DO BATIMENTO OPERCULAR DO PIAU TRES PINTAS Leporinus friderici APÓS EXPOSIÇÃO A ÍONS DE FERRO
Tainára Cunha Gemaque*, Daniel Pereira da Costa, Daniele Salgueiro de Melo, Marcos Vinicius Viana Teixeira, Sérgio Rodrigues da Silva Leonardo Vaz Pereira, Kleber Campos Miranda Filho.
 
*Laboratório de Aquacultura, Escola de Veterinária, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil. Email: tainarapesca@gmail.com
 

A toxicidade é a capacidade inerente e potencial do agente tóxico de provocar efeitos nocivos em organismos vivos. Os metais oriundos da mineração podem ser responsáveis pela contaminação de ambientes aquáticos. O ferro é um dos metais mais abundantes na terra e importante para muitos organismos vivos, pois é essencial para os múltiplos processos metabólicos. O presente estudo objetivou avaliar as oscilações do batimento opercular no piau três pintas Leporinus friderici após a exposição a diferentes concentrações de íons de ferro.

Foram utilizados 88 espécimes de L. friderici divididos em 11 grupos: controle; 1 mg/L; 3 mg/L; 7,5 mg/L; 15 mg/L e 30 mg/L de Fe2+ ou Fe3+. Os experimentos para ambas as concentrações tiveram duração de 96h. Foi realizado a contagem de batimentos operculares (BO), onde os espécimes eram mantidos individualmente em um béquer por um minuto antes e após a submissão aos tratamentos citados onde foram realizadas as contagens de BO por minuto.

Ao avaliar o BO foram observados aumentos significativos quando comparados ao grupo controle (90±8BO/min), aos grupos intoxicados com 30 mg/L de Fe3+ e Fe2+ (p < 0,05) (Tab. 1). Com o Fe2+ foi observado que para 30 mg/L (1h - 108±6BO/min; 3h - 155±4BO/min; 6h - 173±10BO/min e dois óbitos; 24h - letalidade total).

Para o Fe3+ foi observado que para 30 mg/L (128,25 ± 3,41 BO/min, 3h - letalidade total). Quando comparado ao grupo controle os BO foram mais elevados com as concentrações de 30 mg/L com ambos os íons de ferro.