MATUPIRI Tetragonopterus chalceus COMO BIOINDICADOR DE ESTRESSE OXIDATIVO NO PORTO DE SANTANA-AP
Tainára Cunha Gemaque*, Daniel Pereira da Costa, Leonardo Vaz Pereira, Kleber Campos Miranda Filho
*Laboratório de Aquacultura, Escola de Veterinária, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil. Email: tainarapesca@gmail.com
 

A área Portuária de Santana-AP (Região Norte do Brasil) é constituída pela área terrestre e fluvial, contínua e descontínua, já, a zona portuária compreende a área portuária e seus arredores. Este local é utilizado como porto para a exportação de minérios no Estado do Amapá. O ambiente aquático em torno da zona portuária está sujeito a receber porções de minérios que são levados por ventos e chuvas. O estresse oxidativo é uma condição biológica em que ocorre desequilíbrio entre a produção de espécies reativas de oxigênio e a sua desintoxicação através de sistemas biológicos que as removam ou reparem os danos por elas causados.

Peixes são ótimos biomarcadores, pois reagem imediatamente frente a qualquer alteração no ecossistema aquático, por meio de respostas fisiológicas e comportamentais como mudanças no batimento opercular (BO), natação incomum, alterações branquiais e mudanças ou dificuldades na alimentação são reações facilmente notáveis perante intoxicação por substancias químicas

Desta forma, o presente estudo objetivou avaliar o conteúdo de hemoglobina (Hb) e metahemoglobina (mHb) como indicador de estresse oxidativo em Tetragonopterus chalceus, um peixe nativo da Amazônia. Para tanto foram utilizados 35 espécimes de T. chalceus coletados na zona portuária de Santana - AP.

A coleta do sangue para análises foi realizada por corte próximo a nadadeira anal, com o auxílio de capilares heparinizados. Após coleta, as amostras foram diluídas em tampão fosfato (0,2 M; pH 7,2) e analisadas em espectrofotômetro em 540 nm para Hb e 630 nm para mHb.

Ao avaliar a Hb e mHb foram observados aumentos significativos (P < 0,05) da mHb em relação ao conteúdo total de Hb (28,4 ± 2,7%).

O conteúdo elevado de mHb nos espécimes analisados sugere que o local analisado apresenta desequilíbrio ambiental, devido ao grande fluxo de embarcações ou a exposição dos organismos à elevadas concentrações de minérios, provocando possível estresse oxidativo em T. chalceus.

De acordo com o objetivo do trabalho o conteúdo elevado de mHb nos espécimes analisados sugere que o local analisado apresenta desequilíbrio ambiental, devido ao grande fluxo de embarcações ou a exposição dos organismos à elevadas concentrações de minérios, provocando estresse oxidativo em T. chalceus. Sendo assim a exposição a poluentes pode ter consequências biológicas, do nível celular até efeitos no organismo e em todo o ecossistema do local afetado pela contaminação por minérios.